Identifique o pentacorde

DSCN0177.JPGObjetivos:

Ampliar as possibilidades de reconhecimento de micro-escalas (pentacordes) a partir da sequência de teclas pretas e brancas.

Conteúdos:

Pentacordes.

Recursos necessários:

Palitos de picolé com círculos brancos ou pretos conforme cada um dos padrões Maiores e/ou menores dos tetracordes.

Dicas: Faça as marcações nos palitos com caneta para CD.

Obtenha também uma régua com forma de círculo para desenhar com maior precisão nos palitos.

Não esqueça de marcar o lado de baixo do palito, para não haver possibilidade do aluno pensar no padrão invertido, resultando em outra resposta.

Você pode também imprimir os padrões e fazer em cartões no documento a baixo ou na página Para impressão. O documento possui na primeira página os padrões em modo Maior, na segunda os padrões em modo menor e na terceira cifras com as tonalidades para que os estudantes possam juntar aos cartões correspondentes.

Descrição prática:

Deixe os palitos ou cartões dentro de um saco ou pote. O primeiro aluno retira um palito e pensa um momento sem tocar ao piano qual é a tonalidade ali ilustrada. Ao tentar uma resposta o aluno deve conferir executando no piano. Se estiver certa ele pega o cartão com a tonalidade correspondente, caso contrário, ele devolve o palito. O segundo aluno fará o mesmo.

O vencedor é aquele que apanhar o maior número de cartões com as cifras referentes aos palitos respondidos corretamente.

Pentacordes.pdf

Anúncios

Monte o seu teclado

Objetivos:DSCN0178

Reforçar a familiaridade com a distribuição das teclas do piano.

Conteúdos:

Estratégias de prática.

Recursos necessários:

Modelos somente com as teclas brancas do piano (você pode imprimir o meu modelo a baixo ou na página Para impressão);

Palitos de picolé pintados de preto e partidos ao meio.

Descrição prática:

O aluno deve posicionar os palitos de picolé nos modelos conforme o padrão de duas e três teclas pretas do piano. Você pode repetir a atividade na aula, deixando-o consultar no piano real na primeira vez, e depois fazendo sendo olhar.

Dica: Deixe o modelo longe do piano para que o aluno deva transitar por um pequeno trecho sem enxergar o piano após fazer  a consulta, fortalecendo sua atenção. Inicie a distribuição dos palitos também a partir do conjunto de três teclas.

Modelo teclas brancas.pdf

Pauta gigante de tecido

DSCN0135.JPGHá tempo eu desejava ter uma pauta gigante para trabalhar leitura de intervalos e movimento melódico de forma que os próprios alunos pudessem ser as notas, ou então objetos maiores, tais como bichos de pelúcia. Pensei em diversas maneiras de fazer, inclusive considerei de usar fita preta em lona.

Mas minha mãe, muito mais esperta e habilidosa com trabalhos manuais, tratou dedscn0140.jpg providenciar tecido jeans cru e fita mimosa para costurar a tão esperada pauta!

Após muito pensarmos decidimos que a medida total da pauta com dois pentagramas seria 1,60×1,10, com 10 cm. de distância entre as linhas.

Logo que ficou pronta e eu coloquei a imagem nas minhas redes sociais algumas colegas educadoras musicais entraram em contato comigo questionando se ela faria para vender. Ela está aceitando, se você, como eu, não leva muito jeito com trabalhos manuais, mas gostaria de ter a sua, basta entrar em contato! Aproveite!

 

Em breve textos com atividades para fazer com a pauta!

Esquematizando procedimentos para ensino de novas peças lidas

O material didático que elaborei o qual quero descrever hoje não é exatamente direcionado aos alunos, mas sim aos professores! Já me deparei algumas vezes com peças que os alunos não apreenderam bem, ou as quais só conseguiam executar com muita dificuldade e/ou ritmos e notas imprecisos. Vi claramente ali a minha falha ao ensinar pulando uma ou outra etapa importante para o aprendizado da dita cuja.

As etapas puladas foram muitas vezes por esquecimento; às vezes o período da aula é curto de mais, e eu, querendo vencer uma página ali, simplesmente deixei alguns furos e o resultado foi uma aprendizagem frágil.

DSCN0125.JPGTratei de esquematizar um passo a passo que pessoalmente considero apropriado o bastante para o ensino de novas peças lidas aos estudantes, e elaborar um mapa com as etapas descritas e ilustradas o qual deixo à mostra para os alunos no momento em que vamos ler uma nova peça. Para tornar o seu uso ainda mais dinâmico, deixei este mapa dentro de uma pasta plástica transparente, assim o aluno pode marcar cada passo que completarmos com caneta de quadro branco e depois eu posso apagar suas marcações e reutilizar o mapa.

Você também já se deparou com situações de dúvidas em como proceder para ensinar determinadas peças ou com pequenos furos causados por pular alguma etapa? Conte como encontrou uma solução.

 

Encontro do Clubinho do Piano – Março de 2018

O primeiro encontro do Clubinho do Piano de 2018 aconteceu neste último sábado. Aproveitei o mês (March) e trabalhei pelas marchas o caráter expressivo nas peças.

Fiz uma seleção de diferentes marchas (as quais você pode escutar no meu canal do YouTube clicando aqui) e enquanto ouvíamos fui questionando as crianças sobre a função das marchas e os diferentes contextos em que elas podem aparecer. Depois disso distribui cartões com informações e ilustrações a respeito das músicas que ouvimos. Os cartões estavam partidos e as crianças tiveram a missão de juntar procurar unir os pares para poder ler a breve informação sobre a peça em questão.

Nós elegemos a marcha mais triste a mais alegre, e procuramos identificar de uma maneira genérica quais as dinâmicas, articulações e intensidades que mais caracterizavam uma ou outra emoção.

Com o nosso mapa de emoções pronto, fizemos improvisações nas teclas pretas: as crianças fizeram uma fila, e um por vez improvisava por um momento uma das emoções, o próximo colega improvisava com a outra, e assim sucessivamente. Cada estudante pôde improvisar duas vezes, uma vez dentro de cada emoção.

DSCN0036.JPG

Passando para o momento da performance, distribui entre os estudantes cartelas de bingo, onde cada quadrado havia alguma observação como “lembrou de se curvar”, “iniciou com as mãos sobre as pernas”, “tocou muito rápido”, “tocou com os punhos muito baixos”, etc… Eles deveriam marcar uma observação para cada música executada por um colega, e fazer um breve comentário sobre porque escolheu aquela observação. O objetivo era marcar em sequências três quadrados, isso os faria refletir melhor sobre qual observação escolher e qual comentário fazer sobre a observação.

DSCN0022.JPG