Caprichos extramusicais

DSCN0015.JPGHoje venho compartilhar com vocês uma ferramenta que deu muita presença em meu estúdio. Trata-se de um site onde você pode transformar imagens do seu computador em gráficos para bordar, e imagina que fofo ter seu logo desta maneira super delicada em seu estúdio também.

Se você não tem um logo, ou não vê importância em ter um, sugiro que leia o texto do blog Mirka&Piano para refletir mais sobre este elemento que, como explica Mirka, trás identidade e credibilidade ao seu serviço.

A ferramenta, que não tem nada de musical exatamente, mas que pode ser usada ao seu favor, é online, ou seja, não precisa ser instalada no seu computador, basta acessar o link http://www.myphotostitch.com/ e enviar a imagem que você quiser. Ele vai gerar o gráfico e então vem a parte mais difícil: encontrar tempo para fazer seu bordado! Eu aproveitei e fiz o meu durante as últimas férias, mas você pode também contratar outra pessoa para fazer o seu!

 

Anúncios

Torre de equilíbrio musical

DSCN0007.JPGVocê conhece o jogo “torre de equilíbrio” ou “Jenga”?

Consiste em uma torre de pequenas peças equilibradas posicionadas três no sentido horizontal e três no sentido vertical sucessivamente. Cada jogador deve tirar uma peça e posicioná-la em cima da torre sem deixá-la cair. Perde aquele que derrubar a torre.

Aqui vou apresentar uma versão musical deste jogo que encontrei no blog Color In My Piano de Joy Morin.

Objetivos do jogo:

Equilibrar o maior número de peças sem deixar a torre cair.

Objetivos musicais:

Reforçar conceitos musicais diversos.

Conteúdos:

Símbolos;

notação;

expressões.

Número de jogadores:

No mínimo 2.

Recursos necessários:

Um conjunto de peças do jogo torre de equilíbrio (ou jenga) contendo em cada uma um símbolo musical, ou expressão, ou padrão rítmico… Você pode ver abaixo a lista traduzida dos símbolos sugeridos por Joy, os quais reproduzi no meu jogo. A lista contém as símbolos de ambos os níveis de dificuldade colocados em cada peça.

Dica: Você pode colocar conteúdos com níveis de dificuldade diferentes em cada lado da peça caso planeje usar o jogo em uma aula coletiva com estudantes de diferentes níveis.

Descrição prática:

O primeiro jogador retira da torre uma das peças (que não seja uma das três de cima), então identifica o elemento nela desenhada. Se acertar colocará a peça em cima da torre, caso erre deverá colocar esta e retirar outra. O jogo termina quando alguém derrubar a torre. É perdedor quem deixar a torre cair.

Dica: Para não tomar muito tempo da aula, você pode estipular um número de jogadas para cada estudante (três, por exemplo) e desafiá-los a passarem todas as rodadas sem deixar a torre cair.

Fonte: https://colorinmypiano.com/2011/01/31/musical-jenga/

 

1. Semínima | Semínima

2. Mínima | Mínima

3. Mínima pontuada | Mínima pontuada

4. Semibreve | Semibreve

5. Pausa de Semínima | Pausa de Semínima

6. Pausa de mínima | Pausa de mínima

7. Piano (Símbolo de dinâmica) | Piano (Símbolo de dinâmica)

8. Mezzo piano (Símbolo de dinâmica) | Mezzo piano (Símbolo de dinâmica)

9. Mezzo forte (Símbolo de dinâmica) | Mezzo forte (Símbolo de dinâmica)

10. Forte (Símbolo de dinâmica) | Forte (Símbolo de dinâmica)

11. Legato (O símbolo sobre três notas) | Legato (O símbolo sobre três notas)

12. Staccato (O símbolo sobre três notas) | Staccato (O símbolo sobre três notas)

13. Fermata | Acento (símbolo sobre uma nota)

14. M.E. (Sigla para mão esquerda) | Sustenido

15. M.D. (Sigla para mão direita) | Bemol

16. Clave de sol | Clave se sol

17. Clave de fá | Clave de fá

18. Barra de compasso (eu escrevi por extenso) | Barra de compasso (eu escrevi por extenso)

19. Compasso (eu escrevi por extenso) | Compasso (eu escrevi por extenso)

20. Pentagrama (eu escrevi por extenso) | Pentagrama (eu escrevi por extenso)

21. Barra de repetição | Barra de repetição

22. Barra de fim | Barra de fim

23. 3/4 | 3/4

24. 4/4 |4/4

25. 2/4 | 2/4

26. Dó no teclado | Dó no pentagrama

27. Ré no teclado | Ré no pentagrama

28. Mi no teclado | Mi no pentagrama

29. Fá no teclado | Fá no pentagrama

30. Sol no teclado | Sol no pentagrama

31. Lá no teclado | Lá no pentagrama

32. Si no teclado | Si no pentagrama

33. Dedo 1 (eu escrevi por extenso) | Bequadro

34. Dedo 2 (eu escrevi por extenso) | rit.

35. Dedo 3 (eu escrevi por extenso) | Ligadura de aumento (sobre duas notas na mesma altura)

36. Dedo 4 (eu escrevi por extenso) | Intervalo de 4ª no pentagrama

37. Dedo 5 (eu escrevi por extenso) | Intervalo de 5ª no pentagrama

38. Uníssono (por extenso) | Uníssono (por extenso)

39. Grau conjunto (Intervalo de 2ª no pentagrama) | Intervalo de 2ª no pentagrama

40. Grau disjunto (Intervalo de 3ª no pentagrama) | Intervalo de 3ª no pentagrama

41 – 48. Padrão rítmico | Padrão rítmico com dificuldade mais avançada

Prop para iniciar o ano

Inegavelmente as redes sociais são ferramentas incríveis para divulgação do nosso trabalho. Eu diariamente recebo diversos vídeos e fotos de alunos que colegas professores de piano publicam em suas páginas no Facebook ou Instagram, por exemplo.

Uma tendência crescente que observo, sobretudo entre professores americanos, é o de usar props. Props são qualquer tipo de acessório utilizado para compor uma fotografia: óculos, chapéus, placas gigantes, etc…

Qualquer coisa que possa tornar a foto interessante a uma primeira vista, e que fará com que os usuários das redes que deslizam o dedo na tela freneticamente fazendo dezenas de imagens rolarem em sua face pararem para olhar a sua foto especificamente. Entre os professores a utilização de plaquinhas com exclamações sucintas tem sido uma forma divertida de reconhecer uma determinada conquista ou realização de seu aluno, bem como divulgar as diversas atividades que ocorrem nas aulas (compor, ganhar um jogo, terminar um livro, etc…).

No blog Teach Piano Today você poderá encontrar estas placas em belos layouts para baixar e imprimir gratuitamente (confira clicando aqui). Infelizmente estas placas estão escritas em inglês. No Brasil a professora Daiane Raatz, com a aprovação dos blogueiros, fez a tradução destas placas para uso pessoal.

Um dos meus propósitos para este ano será o de testar com meus aluno será o de testar estes props e sua influencia na motivação dos estudantes, já que a maioria deles têm acesso às redes e poderá ver o seu rostinho nas páginas do Studio ou a possibilidade de aparecer nelas. Criei minhas próprias placas em português, os quais irei compartilhar com vocês!

DSCN0006.JPG

Para iniciar o ano já em voga, a primeira placa será, claro uma frase bem positiva a respeito do ano que virá: “vou arrasar no piano”. Inclua no espaço em branco ao topo da página o ano ao qual fará referência. Você pode fazer download da placa abaixo ou na página Para impressão. Cogite plastificar a folha para em 2019 apagar e reescrever o novo ano, reutilizando a placa.

Nota: É sempre importante pedir permissão aos pais dos estudantes mais novos para publicação de suas fotos na internet. Se possível disponha de autorizações para uso de imagem para os pais assinarem.

Placa Vou Arrasar no piano.pdf

Criando imagens para edição de folhas trabalhos e jogos musicais

Imagino que muitos professores de piano estejam neste momento recebendo seus alunos de volta às aulas. Este é, portanto, tempo de revisar, decidi então compartilhar recursos para que vocês mesmos possam elaborar seus recursos de revisão. Pode ser que nem todos sejam adeptos das folhinhas de trabalho (ou teminhas de casa) para revisar elementos teóricos, de qualquer forma estes recursos que hoje lhes trago podem também ser usados para a elaboração de jogos personalizados por vocês mesmos.

A autora do blog Color In My Piano, Joy Morin, compartilhou há anos atrás em seu blog uma penca de imagens em png de diversos símbolos musicais, pautas em diferentes tamanhos, teclados de variadas extensões etc… As imagens em formato png são ótimas porque possuem fundo transparente, o que permite a sobreposição de símbolos em qualquer programa que permita a manipulação de imagens (Publisher, Inkscape, ou até mesmo o Word…). Além disto, este formato de imagem mantém sua qualidade, o que significa que a sobreposição de mais imagens não as deformará, por exemplo. Você pode baixar o pacote de todas as imagens editadas por Joy Morin clicando aqui.

Joy Morin também publicou em seu canal no Youtube um vídeo-tutorial explicando como você pode usar estas imagens no Publisher (que você pode assistir a seguir). (Eu gosto de trabalhar com o programa Inkscape, que é totalmente gratuito, mas confesso que o Publisher é mais rápido e simples no que se refere ao alinhamento de objetos).

Da minha parte, disponibilizo aqui  uma ferramenta para você criarem suas próprias imagens em .png. Trata-se de um arquivo aberto do Musescore onde há uma pequena pauta configurada para poder editar diversas imagens em tamanho padrão e com maior rapidez. Você poderá baixar este arquivo clicando aqui.

Para abrir o arquivo e editar você precisa ter instalado no seu computador o software de edição de partituras Musescore, que é totalmente gratuito e, diga-se de passagem, fantástico. Você pode fazer download do software no site oficial clicando aqui. Após acrescentar na pauta as notas ou símbolos que você precisar, basta exportar em png para depois carrega-lo nos mesmos programas de edição anteriormente citados (Publisher, Inkscape, Word…).

Para auxiliar quem ficar com dúvidas sobre como utilizar este arquivo que disponibilizei para vocês, fiz um singelo vídeo-tutorial que pode ser assistido no meu canal do YouTube ou abaixo.

Espero que aproveitem!

IV Encontro sobre Pedagogia do Piano (EPP) 2017 (4)

IV EPP.png

Durante os dias 23 e 24 de novembro eu estivesse assistindo uma série de palestras no IV Encontro sobre Pedagogia do Piano que ocorreu na Universidade de Santa Maria – RS. Vou compartilhar com vocês alguns pontos que anotei sobre cada palestra, divididos em quatro postagens no blog, uma para cada turno dos dois dias.

 

Dia 24/11 – Sexta-feira

 

14h30 às 15h20 – Iniciação ao piano colaborativo: princípios e fundamentos.

Palestrante: Taiur Agnoletto Fontana

Apresentou as diversas possibilidades de atuação do pianista corropetidor, bem como as funções que o piano pode desempenhar (representar uma orquestra com redução, acompanhar outros instrumentos, servir como fundo para a realização de uma dança etc). Sugere como repertório introdutório para o desenvolvimento da prática do acompanhamento de outro instrumento o método de violino de Suzuki, trabalhando a uniformidade da execução. Afirma que leitura e transposição são duas habilidades importantes e prévias para a corropetição e que podem e devem ser trabalhados desde aulas de inciação.

 

15h30 às 16h20 –  Aspectos e estratégias pedagógicas voltadas à percepção e à abordagem do piano enquanto provedor de planos sonoros.

Palestrante: Luciana Sayure

A autora reforça que o repertório pianístico é um repertório de camadas.Propôs o estudo de peças escritas em duas camadas como, por exemplo, as peças do Mikrokosmos de Béla Bartók e invenções, variando as dinâmicas e articulações entre mãos para desenvolver a dissociação. Quanto ao repertório com três ou mais camadas (baixo, melodia, e preenchimento, por exemplo), discorreu sobre as vantagens de estudar elas separadamente, decorando cada uma, seguido do estudo de diferentes combinações entre as camadas. Quando há passagens de melodias e uma mão para outra, ou melodias tocadas com um mesmo dedo, como muitas vezes ocorre apenas, possibilitando desta forma que o estudante ouça o resultado sonoro a ser tocado.

 

Após as palestras da tarde acorreram masterclasses com professores convidados direcionadas para as crianças, estudantes dos professores que estavam no evento.

DSCN8689.JPG

 

Clique aqui para acessar ao texto 1 sobre o EPP 2017.

Clique aqui para acessar o texto 2 sobre o EPP 2017.

Clique aqui para acessar o texto 3 sobre o EPP 2017.