Resultado da gincana pianística

Neste texto falei da gincana pianística que organizei no mês de junho para incentivar a prática em casa dos meus alunos. Hoje venho compartilhar o resultado do projeto:

reparei que no ano passado, os alunos de uma turma que faziam aula coletiva se mobilizaram mais com a gincana, pois uns motivavam os outros na própria aula e competiam entre si para mostrar sua tarefas e ganhar seus pontos. O fato da gincana ocorrer de forma individual com um limite mínimo de pontos sem um placar no mural pareceu ter influencia mais positiva na motivação dos alunos, pois naquele ano não competiam uns contra os outros, mas cada um estava buscando superar a si mesmo.

Em todo o caso, mesmo que meno, a gincana mobilizou meus estudantes e fiquei satisfeita com a maioria deles. Para a equipe vencedora comprei medalhas em uma loja de artigos esportivos, e imprimi em casa o rosto do compositor representante e o ano da gincana. Também fiz uma medalha exclusiva para a aluna que conquistou maior número de pontos na gincana.

DSCN0649.JPG

Anúncios

Sarau Solidário – Lar Vicentino Dr. Décio Rosa

Havia decidido que neste ano organizaria mais uma oportunidade de performance para meus alunos além do recital de primavera que é agendado para inicio de outubro. Contudo, antes de procurar qualquer lugar, refleti sobre alguns pontos:

Embora eu quisesse fornecer mais e mais oportunidades para meus alunos de tocarem em público, eu não gostaria que o recital fosse algo tão frequente a ponto de se tornar banal para os pais;

Eu gostaria que o evento fosse algo diferente de um recital, mas não há concursos e nem saraus em ambientes amigáveis na minha cidade (muito menos opções de lugares com um piano acústico e afinado!).

Pensando nisso resolvi eu mesmo organizar um sarau com os alunos, mas num ambiente que atingisse pessoas de fora do estúdio. Como há um lar de idosos muito próximo à minha casa, decidi levar boa parte da garotada (e meu piano digital) para lá. Fomos no dia 24 de junho às 16h. Eu já conhecia as pessoas da direção do lar, então foi bastante fácil agendar o evento. Eu cheguei às 15h para escolher qual sala iriamos ocupar e montar o teclado. Pedi para meus alunos chegarem com 10 minutos de antecedência, preferi não lhes dar tempo para estudar, busquei manter na mente de todos eles que seria um evento bastante informal e intimo, como se espera de um sarau, para isso desejei que chegassem antes para poderem também conversar um pouco com os residentes do lar.

O sarau durou meia hora, não fiz programas, apenas anunciei em voz alta o nome do pianista e das peças que iria tocar.

Os vovôs ficaram super contente com a presença de juventude, a maioria dos pais pareceu muito feliz de ver seus filhos levando mais alegria para aquele local também! Eu fiquei super orgulhosa dos meus pequenos grandes pianistas!

E você, já pensou em levar uma turma de alunos para algum asilo, orfanato ou hospital?

DSCN0512

DSCN0513

dscn0531-e1529947277804.jpg

Gincana Pianística – Um incentivo à prática

Durante o inverno do ano passado, para incentivar a prática das peças em estudo e de atividades musicais criativas em casa, entreguei para cada aluno uma lista de tarefas que deveriam realizar ao decorrer de um mês, cada qual valendo determinado número de pontos. Os que alcançassem um determinado número de pontos seriam premiados no fim do mês. Foram as “missões de inverno”. Neste ano fiz algumas modificações neste projeto que se tornou uma gincana, sobre a qual vim compartilhar hoje com vocês.

DSCN0344.JPGA gincana está ainda em andamento durante este mês (junho). Na última semana de maio fiz a organização das esquipes: dei a cada uma o nome de um compositor (escolhi Bach, Beethoven, Chopin e Mozart) e cada aluno que vinha para a aula pôde escolher sua equipe e anotar seu nome na lista correspondente. Tentei distribuir da maneira mais uniforme possível, mas foi inevitável que algumas equipes ficassem com mais membros. Nesta mesma semana os alunos já levaram sua lista de tarefas, as quais são iguais para todos:

  • Revisar uma música já aprendida. Mostrar para a professora em aula.
  • Ensinar alguém a tocar uma música. Gravar e enviar o vídeo para a professora.
  • Aprender uma nova música sozinho. Mostrar para a professora em aula.
  • Enviar para a professora um vídeo da música em estudo.
  • Compor uma nova música. Mostrar registro da música para a professora.
  • Realizar uma pesquisa bibliográfica do compositor de sua equipe. Mostrar o trabalho para a professora.
  • Memorizar (com detalhes) a música em estudo. Tocar de memória para a professora.
  • Estudar todos os dias da semana. Mostrar tabela ou aplicativo com registro para a professora.

Cada tarefa realizada vale um adesivo, que é colado no momento da aula do aluno no quadro que ficou exposto no mural do estúdio (por isso é bom anotar os nomes de quem enviar vídeos, para poder lembrar na respectivas aulas). Também marco na tabela do aluno a atividade realizada, para evitar que repitam a mesma (principalmente, a que lhe seja mais cômoda).

DSCN0387.JPG

Algumas poucas tarefas podem ser realizadas mais de uma vez (você, caro amigo professor de piano que tem de investir minutos de sua aula explicando para seus alunos a importância de praticar, pode imaginar quais são…) e apenas uma delas vale dois adesivos (sim, a última da lista).

Na última semana vou cobrir o placar para que, caso alguma equipe esteja muito na frente (ou uma muito atrás), seus integrantes não sejam tentados a deixar de tentar cumprir as tarefas.

Por fim, o prêmio pode ser o que você optar. Como não sou adepta de dar comida aos alunos (e, principalmente, doces!) vou entregar uma medalha, fotografar e deixar todas as fotos dos vencedores expostas no mural. Pretendo também destacar o aluno que tiver contribuído com o maior número de adesivos, independente se não for da equipe vencedora.

Em breve pretendo compartilhar também os resultados (não apenas a equipe vencedora, mas o reflexo do projeto na prática dos alunos). Se você testar, não deixe de comentar dizendo como foi e de compartilhar com outros colegas professores que estão na luta em busca de incentivos para seus alunos.

Composições dos meus alunos

No mês de maio realizei com meus alunos um projeto de composições para o dia das mães, sobre o qual você pode ler com mais detalhes neste texto. Fiquei de compartilhar os resultados. Pois bem, você pode conferir algumas das composições neste vídeo.

Se você gostou dos resultados e gostaria de ter acesso às instruções que utilizei com os alunos, escreva nos comentários para eu saber!

Composição para o dia das mães

E começou o mês de Maio! Você, caro professor, pode apostar que as mães de seus alunos estão aguardando para receber alguma fofura musical de seus pequenos.

DSCN0243.JPG

No ano passado fiz composições com meus alunos: dei-lhes um inicio de uma melodia já pronta e eles compuseram o final com base no material já existente e num padrão rítmico já estabelecido. Este ano resolvi deixar meus alunos mais livres e lhes dei a pauta em branco e dicas que, embora em maior quantidade do que a do ano passado, lhes deram mais liberdade para criarem suas melodias.

 

Embora eu não apresente as armaduras tão cedo aos meus alunos, todos fazem as posições de pentacordes a partir de qualquer a partir do padrão: nota de repouso, espaço no meio, espaço no meio, dedo junto, espaço no meio (lê-se: tônica – tom – tom – semitom – tom, mas com nomes de mais fácil assimilação). Para compor eles poderiam escolher qualquer “posição de cinco dedos”, sendo a primeira noite a nota do dedo 1, 3 ou 5 da mão direita, por exemplo. Estabeleci outros pontos, como: os compassos 5 e 6 são uma inversão do compasso 1 e 2 na mão esquerda (explicado como tocar com os mesmo números de dedos).

Todas as minhas instruções se destinaram apenas à criação da melodia, mas, obviamente, para os estudantes que já trabalham diferentes articulações, deveriam levar isso para sua musica, aqueles que já sabem cadência V7-I deveriam criar um acompanhamento, etc.

Espero em breve compartilhar aqui o resultado deste projeto com vocês.