Dedoches

DSCN0244.JPGHoje trago mais uma sugestão de ferramenta didática fofa para divertir as aulas de piano principalmente dos estudantes em idade pré-escolares: dedoches! Eles podem servir para identificar o número dos dedos, onde o aluno deve dizer o dedo e a mão em que o dedoche aparece, podem indicar regiões do piano em que aluno deve tocar sua peça, podem servir como platéia ou como inspiração para improvisar uma peça nova.

Uma fofura!

Anúncios

O uso de dois pianos no estúdio

DSCN0247.JPGO texto de hoje é sobre uma experiência que tive como aluna, que pessoalmente me deu uma nova visão (ou uma nova adição?) sobre aulas de piano, e que tratei de tornar frequente no meu estúdio: tocar com o aluno suas peças em outro piano.

Alguns alunos se queixam que isto lhes atrapalhar, eu mesmo me confundo quando minha professora dispara na frente da minha sonata, mas isso trouxe tantos outros benefícios que simplesmente respondo às queixas dos meus alunos com um “tá, agora vamos lá” e sigo fazendo. Em outros momentos dou um tempo para que eles possam se organizar, tocando sozinho, mas têm beneficiado muito o pulso, as dinâmicas, a comparação constante e imediata do resultado sonoro.

Sem contar que aproveito a própria aula dos alunos para manter constante o meu exercício pessoal de escalas e arpejos (fazendo junto com eles).

Eu que cogitei vender meu piano digital e ficar somente com o acústico logo desisti.

E você colega professor, tem dois pianos em sua sala? Como você utiliza ele em suas aulas individuais?

Letras de EVA para seu estúdio

DSCN0246.JPGApós um surto de desespero, descobri que a confusão com expressões italianas, nomes de compositores, nomes de formas etc é uma dificuldade comum à todos os professores de música. Aí o surto passou e fui procurar algo que pudesse ajudar neste sentido: encentrei um pacote de letras de EVA, parece tolo, mas pedir para que os estudantes formem as palavras com estas letras acaba sendo divertido e ajuda na memorização. Não deixo de utilizar elas, principalmente nos Encontros do Clubinho do Piano, nos quais sempre estudamos um compositor e com ele algum conteúdo específico: uma forma, um elemento sonoro, etc. Elas podem ainda ser combinadas, de forma que cada letra que uma palavra que defina o tema de sua aula possam ser utilizada para formar outras tantas palavras dentro do tema. Deixe a própria criatividade dos alunos agirem.

Deixo aqui a minha sugestão.

 

Números dos dedos para pré-escolares

DSCN0245.JPGObjetivos:

Reconhecer a numeração dos dedos na música para piano.

Conteúdos:

Número dos dedos.

Recursos necessários:

Imagens grandes de mãos impressas;

Dica: Você pode imprimir a versão de Joy Morin do blog Color in My Piano clicando aqui.

Objetos pequenos como pompoms, imãs, pedrinhas.

Descrição prática:

 

Compare as mãos do aluno com as mãos do desenho, peça e o ajude a identificar qual é a mão direita e a esquerda.

Explique ao estudante que o dedo mais estranho, aquele que vai “para o lado” em vez de ir “para frente” é o dedo número 1, e que a partir dele contamos os dedos de cada mão.

Peça para colocar sobre a imagem de cada dedo a quantidade de objetos equivalente ao número do dedo.

Composição para o dia das mães

E começou o mês de Maio! Você, caro professor, pode apostar que as mães de seus alunos estão aguardando para receber alguma fofura musical de seus pequenos.

DSCN0243.JPG

No ano passado fiz composições com meus alunos: dei-lhes um inicio de uma melodia já pronta e eles compuseram o final com base no material já existente e num padrão rítmico já estabelecido. Este ano resolvi deixar meus alunos mais livres e lhes dei a pauta em branco e dicas que, embora em maior quantidade do que a do ano passado, lhes deram mais liberdade para criarem suas melodias.

 

Embora eu não apresente as armaduras tão cedo aos meus alunos, todos fazem as posições de pentacordes a partir de qualquer a partir do padrão: nota de repouso, espaço no meio, espaço no meio, dedo junto, espaço no meio (lê-se: tônica – tom – tom – semitom – tom, mas com nomes de mais fácil assimilação). Para compor eles poderiam escolher qualquer “posição de cinco dedos”, sendo a primeira noite a nota do dedo 1, 3 ou 5 da mão direita, por exemplo. Estabeleci outros pontos, como: os compassos 5 e 6 são uma inversão do compasso 1 e 2 na mão esquerda (explicado como tocar com os mesmo números de dedos).

Todas as minhas instruções se destinaram apenas à criação da melodia, mas, obviamente, para os estudantes que já trabalham diferentes articulações, deveriam levar isso para sua musica, aqueles que já sabem cadência V7-I deveriam criar um acompanhamento, etc.

Espero em breve compartilhar aqui o resultado deste projeto com vocês.